segunda-feira, 2 de Março de 2009

Angola - A terra dos geradores

Angola ainda tem muitos problemas com o abastecimento de energia à população. Embora tenha imenso petróleo, é frequente as bombas ficarem sem combustível, e existem sempre filas de carros e montes de bidões à espera de abastecer. Os bidões são utilizados para alimentar os geradores, ou acabam por serem vendidos no mercado negro a pessoas que, ou não tem bombas de combustível por perto ou não têm disposição para enfrentar as filas de espera. Ainda não percebi é, se isto resulta de um problema logístico ou de falta de refinarias.

Outro problema é o acesso à energia eléctrica, existem imensos cortes de energia que podem durar alguns dias. Para quem tem frigoríficos e arcas congeladoras com alimentos perecíveis à temperatura ambiente, isto torna-se incomportável. Como tal, a solução é ter um gerador que produza energia eléctrica. Estes geradores estão por todo o lado e produzem um barulho ensurdecedor e irritante, e imaginem aquelas pessoas que moram em prédios e que têm os geradores nas varandas e, alguns estão mesmo colocados nos corredores de acesso aos apartamentos, pois é, chateia um bocadinho…

No entanto, existem uns geradores denominados de insonorizados, desengane-se quem pense que isto significa que estes não produzem ruído, porque ao contrário do que o nome indica, apenas produzem menos. E, salvo erro técnico, eu acho que a única diferença entre os geradores insonorizados e os normais é que os insonorizados possuem uma caixa envolvente que absorve um pouco o ruído.
Portanto, as ruas têm um barulho característico, já me tinham falado no cheiro característico de África, mas nunca do som… mas, é um pouco como o cheiro a Cacia, passado uns tempos já nem se nota, e se escutares atentamente é como uma musiquinha… muito ritmada…

Agora, o que era mesmo muito giro era colocar nos geradores uns escapes daquelas marcas XPTO (que não me ocorre nenhuma) que produzem imenso ruído e dão rateres. ..